Fatos que você precisa saber sobre a nova gasolina

Atualizado: Set 7

Entrou em vigor no dia 3 de agosto 2020, a resolução da ANP que especifica a nova gasolina para uso automotivo em todo o Brasil; com novas exigências para torná-la ainda melhor.


As novas regras constantes da Resolução ANP nº 807/2020, aprimoram a qualidade da gasolina brasileira e proporcionam maior eficiência energética e melhora na autonomia dos veículos. As alterações em três principais características como o valor mínimo para massa especifica (densidade), valor mínimo para a temperatura de destilação atmosférica e fixação de limites para a octanagem, visam inibir a comercialização de gasolinas excessivamente leves, passíveis de acarretarem prejuízos ao consumidor pelo aumento de consumo, perda de potência nos veículos e falhas de detonação.


Segundo Ednéia Caliman, especialista em regulação da ANP,uma das principais vantagens trazida pela nova especificação é a definição de valor mínimo para a massa específica o que conhecemos como “densidade do combustivel” que passa a ser de 715,0 kg/m3 a 20 ºC.


A mudança desse parâmetro irá contribuir para que os veículos tenham maior rendimento do motor no momento da queima e consequentemente menor consumo, isso se deve ao fato que, quanto maior a massa especifica do combustivel ,em termos de hidrocarbonetos, maior é a densidade energética ou seja, para um mesmo volume de combustivel injetado no motor haverá maior geração de quantidade de energia na combustão, proporcionado assim uma melhor reposta.


Outro parâmetro que foi alterado pela nova resolução é um ajuste da curva de destilação, parâmetro analítico que nos permite avaliar o caráter de volatilidade da gasolina. Um produto excessivamente volátil, provoca danos como a perda de potência e acarreta um mau funcionamento do motor, isso porque ocorre a formação de bolhas nas linhas de abastecimento. Um combustivel com um bom perfil de destilação, garante uma eficiência do motor quanto aos quesitos de partida a frio, desempenho, aquecimento e dirigibilidade e consequentemente aumento da eficiência.


Fica determinado na nova resolução, um valor mínimo para a temperatura de destilação atmosférica em 50% (T50) para a gasolina A, de 77,0 ºC, além do limite máximo já exigido anteriormente pela Resolução ANP nº 40/2013.


O terceiro ponto e a forma de se avaliar a octanagem da gasolina a partir da fixação de limites mínimos - RON (Research Octane Number). A octanagem é a medida da capacidade do combustivel a resistência à detonação, ou seja, quanto mais elevada à octanagem maior a capacidade do combustivel ser comprimido sem que ocorra a detonação .


A fixação de tal parâmetro mostra-se necessária devido às novas tecnologias de motores e resultará em uma gasolina com maior desempenho para o veículo inibindo as falhas. Agora, a adoção do limite RON iguala o nosso combustível ao padrão europeu.


Referências:


https://nossaenergia.petrobras.com.br/pt/energia/5-curiosidades-sobre-a-nova-gasolina-que-voce-vai-querer-saber/?gclid=EAIaIQobChMI-YeHktLP6wIVU4GRCh0nZQesEAAYASAAEgJbBfD_BwE


http://www.anp.gov.br/noticias/5876-nova-gasolina-automotiva-sera-obrigatoria-a-partir-de-hoje


http://legislacao.anp.gov.br/?path=legislacao-anp/resol-anp/2020/janeiro&item=ranp-807-2020


http://www.anp.gov.br/producao-de-derivados-de-petroleo-e-processamento-de-gas-natutal/producao-centrais-de-materias-primas-petroquimicas-cpq/gasolina




45 visualizações

ONDE ESTAMOS

INSTITUCIONAL

ACESSE TAMBÉM

Sobre nós

Trabalhe Conosco

Intranet

Pensalab - São Paulo/SP
Rua Minerva, 129 - Perdizes
CEP: 05007-030
Fone: +55  011 5180-8300